Software de Gestão do Conhecimento para Trabalhos Acadêmicos

Clique AQUI para mais informações!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

CURSO INTENSIVO DE ANTI-ESQUERDISMO

O artigo "Porque Não Sou de Esquerda", da Norma Braga, publicado recentemente na revista Ultimato é mais um daqueles artigos bons que doem no ouvido de algumas pessoas - e o resultado foi muita polêmica nas cartas à revista e na blogosfera que costumo acessar. A Norma, que já é minha amiga há um certo tempo, tem sido muito inteligente ao responder todos os ataques e se mostra cada dia mais corajosa - seu último post foi intitulado "Cristãos conservadores do Brasil, uni-vos!".

Resolvi responder a este chamado e fazer o que posso por aqui. É claro que seria um tanto difícil um estudante de engenharia dedicando muito tempo e esforço para defender posições políticas e contribuir com algo; mas basta parar e pensar que eu mesmo tenho grande chance de ter comunistas e/ou ambientalistas imbecis "pegando no meu pé" assim que começar a trabalhar. E eis a minha proposta: se você cristão, já foi um daqueles alunos influenciados por professores de ensino médio e cursinho, e nunca teve acesso ao lado podre da esquerda e aos elogios da direita, apresento aqui uma lista de links e textos recomendados para todos os que têm dúvida quanto ao que realmente seria uma posição política cristã e bíblica.


Antes, porém, devo esclarecer que todas as referências postadas aqui são apenas as que eu conheço, e fazem parte da minha trajetória de leituras que me convencem da minha posição atual. Não só sugiro, mas também peço que os pouquíssimos leitores e cristãos conservadores que visitam meu blog postem alguma outra referência que ajudem neste meu compêndio de anti-esquerdismo!


Em primeiro lugar, não passo um link - recomendo um capítulo inteiro do livro "Calvinismo", de Abraham Kuyper, sobre Calvinismo e Política - que para mim, é o ponto de partida teórico para toda a visão cristã de política (em inglês, Lectures on Calvinism). Mas antes, vale lembrar os arminianos ou indecisos que o foco principal do capítulo não é relacionar a doutrina da predestinação com posições políticas (embora isto seja inevitável às vezes). Calvinismo, no sentido adotado pelo livro, não é referenciado somente como a teologia elaborada por Calvino, mas sim, todo o pensamento protestante da época da Reforma (considerado por nós como bíblico).

"Num sentido calvinista nós entendemos que a família, os negócios, a ciência, a arte e assim por diante, todas são esferas sociais que não devem sua existência ao Estado, e que não derivam a lei de sua vida da superioridade do Estado, mas obedecem uma alta autoridade dentro de seu próprio seio; uma autoridade que governa pela graça de Deus, do mesmo modo como faz a soberania do Estado. Isto envolve a antítese entre o Estado e a Sociedade, mas com a condição de não concebermos esta sociedade como um conglomerado, porém, como analisada em suas partes orgânicas, para honrar, em cada uma destas partes, o caráter independente que pertence a elas". (Abraham Kyper, Calvinismo e Política)


Sim, eu sei que muitos não têm acesso a este livro. Por isto recomendo este comentário sobre o mesmo no site Monergismo - http://www.monergismo.com/textos/politica/politica-crista-kuyper_hexham.pdf


O próprio artigo "Por que não sou de esquerda" publicado pela Norma na Revista Ultimato também é bastante esclarecedor e uma ótima introdução: http://www.ultimato.com.br/?pg=show_artigos&secMestre=2603&sec=2616&num_edicao=323.



No seu blog, os seus esclarecimentos do artigo nos posts subseqüentes também são interessantes e até engraçados. Vale a pena ler. Se ela me permite, vou transcrever um trecho que é o que todos precisamos aceitar:


No Brasil, as pessoas acham bonito o socialismo, aprovam ou não se incomodam com a ditadura cubana, odeiam os Estados Unidos, andam com camisetas do Che Guevara, veem no governo a solução de todos os problemas, xingam o “neoliberalismo”, abominam o capitalismo como o próprio Mal e não se dizem de esquerda".


Lendo isto, você se pergunta: quais são os problemas do socialismo? Porque tanta resistência contra este sistema que parece buscar tanto o "bem" da sociedade? Em primeiro lugar (e como todo primeiro lugar em um argumento protestante reformado) - ele não é bíblico! O artigo do Helder Nozima, no blog 5 Calvinistas deixa isto muito claro: http://5calvinistas.blogspot.com/2010/04/por-que-tambem-nao-sou-de-esquerda.html


Mas o fato é que o socialismo, e mais especificamente o marxismo em sua forma mais pura, não só deixa de ser bíblico, mas parte de pressupostos totalmente ateus e materialistas. Provas não faltam nos próprios textos de Marx, e vários artigos publicados por Lênin e outros teóricos socialistas. Basta pesquisar!


"O marxismo é materialismo. Como tal, ele é tão implacavelmente hostil à religião como o materialismo dos enciclopedistas do século 18 ou o materialismo de Feuerbach. Isto é indubitável. Mas o materialismo dialético de Marx e Engels vai mais longe que os enciclopedistas e Feuerbach, aplicando a filosofia materialista ao domínio da história, ao domínio das ciências sociais. Devemos lutar contra a religião. Isto é o á-bê-cê de todo o materialismo e, por conseguinte, também do marxismo. Mas o marxismo não é um materialismo que se deteve no a-bê-cê. O marxismo vai mais longe. Ele diz: é preciso saber lutar contra a religião, e para isso é preciso explicar de modo materialista a fonte da fé e da religião entre as massas". (Lênin, em um artigo publicado em 1909).


O mais interessante é que Lênin, neste mesmo artigo, diz que os socialistas não deveriam lutar diretamente contra a religião, mas se utilizar de táticas persuasivas (algo que ele chama de materialismo dialético), fazendo com que as pessoas pouco a pouco assimilem os conceitos materialistas de governo e cooperem para a propaganda anti-religiosa sem ter consciência disto.


Mas e daí, se este artigo foi publicado em 1909? Será que hoje o socialismo mudou e conseguiu deixar de lado sua anti-religiosidade? Eu acho que não, e provavelmente você poderá achar depois que ler estes textos sobre as teorias de controle psicológico desenvolvidas pelos socialistas . Isto inclui a Perestroika, que nos ensinam apenas como uma renúncia do socialismo, mas é totalmente o oposto - é uma troca de tática de guerra:

Educação X Marxismo, por Pedro Paulo Rocha:
http://www.olavodecarvalho.org/convidados/ppaulo2.htm

A Face Oculta do Mundialismo Verde, por Pascal Bernardin: http://www.olavodecarvalho.org/convidados/bernardin2.htm

Uma observação: o jornalista e filósofo Olavo de Carvalho, embora seja alguém que nem sempre eu acho possível concordar, afirma em seu livro "A Nova Era e a Revolução Cultural" (texto na íntegra aqui) que parte deste socialismo psicológico pode ser atribuída ao teórico esquerdista Antonio Gramsci.


Todos conhecem os clichês anti-capitalistas que os professores e o nosso querido governo sempre dizem. A Norma também fala muito bem sobre a teoria girardiana do bode expiatório em alguns posts. Um deles está aqui: http://normabraga.blogspot.com/2008/07/o-bode-marxista-e-o-bode-nazista.html. E vale acrescentar: acredito que para entender de onde surgem todas estas falácias, devemos entender todo o erro do pensamento do século XX. Recomendo livros como "A Morte da Razão", de Francis Schaeffer, "Ortodoxia", do católico G. K. Chesterton e "A Abolição do Homem", de C. S. Lewis. São excelentes livros, não só para este tema mas também para muitos outros, mas como sei que poucos tem tempo para isto, que pelo menos leiam o texto de C. S. Lewis sobre Bulverismo: uma atitude que faz parte de quase todos os argumentos socialistas por aí (Hugo Chávez para mim é o bulverista no. 1 do mundo) - http://otdx.blogspot.com/2008/01/bulverismo-ou-os-fundamentos-do.html
Para destruir de vez o socialismo, ainda vão aqui alguns textos:

- O que é uma Revolução, por Mendo Castro Rodrigues: http://www.olavodecarvalho.org/convidados/mendo5.htm  

- Perestroika, Ambientalismo e Comunismo:
http://www.olavodecarvalho.org/convidados/empeco.htm

- Artigo de um seminarista católico falando sobre o comunismo: http://www.materecclesiaedobrasil.com/2010/03/acao-revolucionaria-e-igreja.html

E ainda, sobre o nosso governo brasileiro, existe uma entrevista bastante pessimista com Olavo de Carvalho, falando sobre o domínio socialista no nosso país - http://www.olavodecarvalho.org/textos/petismo.htm
Mas por fim, se o socialismo é mais uma das roupas bonitas do diabo, por que defender o capitalismo?
O que há de bom nele?
O que é capitalismo de verdade (digo isto pois capitalismo no Brasil é sinônimo de ganância)?
De fato o capítulo de Calvinismo e Política de Abraham Kuyper já ajuda a deixar isto muito claro.
Mas, do que eu conheço, José Nivaldo Cordeiro faz bons comentários sobre o livro de Milton Friedman chamado "Capitalismo e Liberdade":

http://www.olavodecarvalho.org/convidados/0200.htm

http://www.olavodecarvalho.org/convidados/0203.htm

http://www.olavodecarvalho.org/convidados/0208.htm 

A Norma também faz comentários interessantes em algum post ou outro, como por exemplo este aqui. Tudo pode se resumir em algo como - o capitalismo é o único que preserva a liberdade individual.

Termino o post fazendo o convite mais uma vez - cristãos conservadores do Brasil, que tal juntarmos todos os bons textos sobre política e montarmos uma "apostilinha" básica para nós?
 
Fonte: http://fernandopasq.blogspot.com/2010/04/curso-intensivo-de-anti-esquerdismo.html

2 comentários: